quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Cavalo doido, cavalo de pau - Alceu Valença - 1982

Alceu Valença já tinha uma carreira quando este disco apareceu em 1982. A diferença é que com este aqui, ele se tornou um artista de projeção nacional alavancado pelo sucesso de Morena Tropicana e Como Dois Animais. Mas o disco vai bem além desses dois "hits". Rima com Rima com seu ritmo acelerado, rimas e aliterações é quase incompreensível, mas é irresistível. Pelas Ruas que Andei é um passeio por Recife, literalmente. Alceu enumera ruas e bairros da capital pernambucana procurando um amor perdido. Azar dele. Sorte nossa. Ainda tem a música que dá nome ao LP (sim, LP. Até onde eu saiba esse disco não saiu em CD), um blues nordestino. Martelo Alagoano, olha é não sei que raio de ritmo é esse aqui, mas é uma baita música. O disco ainda traz Lava Mágoas e Maracatu, num tempo que este ritmo não passava nem perto de qualquer coisa que tivesse divulgação nacional. Alceu retornaria em 1983 com outro excelente disco (Anjo Avesso, a pintar aqui no blog, num futuro post), reforçando ainda mais a parceira com o guitarrista Paulo Rafael.
[MATEUS]

Nenhum comentário:

Postar um comentário